Mil Homens

literatura. música. arte digital.

Aurora, estou nos teus braços.
Ouço os ventos passados.

Vende o alento.
Vence o medo.
Mas não chores, rapaz.

Vejo nos teus movimentos
Danças do meu sofrimento.

Rasga-lhe o rosto.
Quebra-lhe o corpo.
Mas não chores, rapaz.

%d bloggers like this: