27/08


27/08

Hoje, foi um dia que não deixou nada por dizer. Um dia apenas comunicável pela negativa: sem palavras – sem nomes, advérbios ou adjetivos.

Estas palavras, no que só pode ser descrito como expressamente bizarro, pretendem apenas referir que o dia de hoje, este 27 de Agosto, foi um dia que veio, chegou, demorou-se um pouco e foi e, nesse definido – ainda que arbitrário – espaço de tempo, não deixou nos meus dedos ou no fundo desta minha garganta qualquer sílaba ou letra como registo da sua passagem.



%d bloggers like this: