crónicas para dormir



lxxviii

Crónicas para dormir (XII):
Pertença e traduções.

lxxiii

Crónicas para dormir (XI):
“Boy, you’re gonna carry that weight”

lxvii

Crónicas para dormir (X):
“Não há consolação, amigo triste, o homem é um animal inconsolável.”

lvi

Crónicas para dormir (VIII):
Falácias de tempo e movimento.

li

Crónicas para dormir (VII):
Sangram as virtudes.

xlvii

Crónicas para dormir (VI):
A noite delimita a arquitectura que perdurará até o dia nascer.

xliii

Crónicas para dormir (V):
A noite reina nos cantos que ninguém quer.

xl

Crónicas para dormir (IV):
A dor, e a sua ausência, é tudo o que sei em absoluto sobre mim.

A carregar…

Something went wrong. Please refresh the page and/or try again.



Anúncios

receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

%d bloggers like this: