vii

São os chilreares que se contentam com a aparente omnipresença;São os arrastares dos motores velhos com a pressa de nunca chegar;São os passos que cansam, os ladrares que anunciam, o verdume que cresce, as meias-idades nos rostos das crianças;São os insectos que já não vêm como dantes, e os miúdos que já não sabem brincar;SãoContinue a ler “vii”