xxii

Hoje, o sol não nasceu. Qual é a expressão?Raios te partam!E quem sou eu para dizer que não? Que os raios partam, então. Que quebrem, e rasguem, e queimem. Que, ao chegarem, as labaredas se acendam em línguas bárbaras, sinusóides – das que, para lá da superfície, onde é fácil arder, navegam mais fundo eContinue a ler “xxii”

i

Deitado de olhos abertos, na solidão do silêncio, encaro a escuridão de frente, como um eterno arqui-inimigo, o canto de onde surgem os demónios. O conceito de inesperado atormenta-me desde cedo, pelo que, a escuridão – com as suas características místicas, com a sua capacidade de esconder qualquer forma, qualquer cor – sempre me aterrorizou.Continue a ler “i”